Amor que não se pede

Já dizia a velha música do Cidade Negra: “amor que não se pede, amor que não se mede, que não se repete”. Na letra, o amor citado é o amor entre duas pessoas específicas. Mas esse trecho vale para qualquer relação, seja ela entre casais ou entre amigos. Não se pede nenhum tipo de amor, atenção ou carinho. Essas demonstrações de afeto só são válidas quando vêm naturalmente.

Um telefonema, uma mensagem, uma visita, um abraço, um beijo, uma transa, uma pergunta, uma resposta, um olhar, uma palavra, um sorriso. Quem não gosta dessas expressões de carinho, atenção, desejo, preocupação? Gostamos tanto que tomamos muitas dessas atitudes por conta própria. Gostamos tanto e fazemos tanto que às vezes nos sentimos no direito de exigir a mesma iniciativa do outro. Aí é que erramos.

Não se cobra atenção (entendam como atenção todo esse conjunto de demonstrações de afeto, carinho, amor e amizade). Não se cobra nem de amigos, nem de namorados, nem de esposas. De ninguém. É o tipo de cobrança que ajuda a minar relacionamentos. Gestos que deveriam ser feitos quando existisse vontade passam a ser obrigação. E quando viram obrigação, perdem o sentido.

Nada por obrigação é legal. A exigência põe um peso muito grande em cima das coisas e tira o prazer vindo delas. Fora que é sempre melhor receber um tipo de atenção sabendo que foi por livre e espontânea vontade do outro e não por demanda sua. Queremos mesmo matar a beleza do carinho inesperado? Acho que não.

Algumas pessoas são mais fechadas e consequentemente demonstram menos suas emoções. Nesses casos, cabe a nós percebermos o amor em outros gestos. Podemos até conversar para explicar como sentimos necessidade dessas manifestações de carinho, mas dificilmente conseguiremos uma mudança natural.

Se não for este o caso, pode ser pura e simples falta de vontade. Acontece, por mais que fiquemos chateados e isso derrube nossa autoestima. Nem sempre os sentimentos são recíprocos. Exigir a reciprocidade do outro não resolverá nada, vira obrigação. Se você quer mais do que o outro pode lhe dar, só existem duas soluções: aceitar menos ou procurar outra pessoa que queira o mesmo que você.

Entendendo isso podemos viver mais naturalmente nossas relações. Sem cobranças, sem exigências, sem obrigações. Afinal, não precisamos pedir por amor. Quando é amor, ele vem sem que a gente peça.

 

 

Comentar via Facebook

Comentários

3 comments

Deixe uma resposta