Beco da Leitura: Especial Carlos Ruiz Zafón (parte 1)

Carlos Ruiz Zafón é um escritor espanhol, nascido nos anos 60 em Barcelona. Lançou seu primeiro livro, O Príncipe da Névoa, em 1993 e com ele conquistou o “Prêmio Edebé de Literatura Infantil y Juvenil”. Sua carreira se seguiu com a publicação de mais três livros do gênero: O Palácio da Meia-Noite, As Luzes de Setembro (que juntamente com o primeiro formam a Trilogia da Névoa) e Marina. Em 2001, seu primeiro livro adulto, A Sombra do Vento, é publicado. A obra tornou-se um fenômeno mundial, sendo traduzido em mais de 30 idiomas. O universo do Cemitério dos Livros Esquecidos foi revisitado nos dois últimos livros publicados: O Jogo do Anjo (2008) e O Prisioneiro do Céu (2011).

Meu primeiro contato com o trabalho do Zafón foi em 2009 quando li A Sombra do Vento. Foi um livro recomendado pela mãe de uma amiga e se tornou um dos meus preferidos da vida. De lá para cá já li todos os livros publicados por ele.

Como dito acima, Zafón seguiu duas linhas: a literatura juvenil e a adulta. O estilo de história e de escrita são bem parecidos em todos os livros. A única diferença é que os livros juvenis são menores e menos complexos do que os adultos. As três obras adultas formam uma espécie de trilogia por apresentarem ligações entre as tramas, mas sem a necessidade de ser lida na ordem (apesar de eu achar que a experiência é melhor assim).

Li os livros na seguinte ordem:
1- A Sombra do Vento (2009)
2- O Jogo do Anjo (2010)
3- Marina (2012)
4- O Prisioneiro do Céu (2012)
5- O Príncipe da Névoa (2013)
6- O Palácio da Meia-Noite (2013)
7- As Luzes de Setembro (2013)

*Todos os livros foram publicados pela Suma de Letras

Como são muitos livros e eu não economizarei palavras em cada um, vou dividir o post em dois. Primeiro vou falar da chamada trilogia do Cemitério dos Livros Esquecidos.

A Sombra do Vento

a_sombra_do_ventoNota no Skoob: 4,6

Minha nota: 5 (e favoritado)!

Sinopse: Tudo começa em Barcelona, em 1945. Daniel Sempere está completando 11 anos. Ao ver o filho triste por não conseguir mais se lembrar do rosto da mãe já morta, seu pai lhe dá um presente inesquecível: em uma madrugada fantasmagórica, leva-o a um misterioso lugar no coração do centro histórico da cidade, o Cemitério dos Livros Esquecidos. O lugar, conhecido de poucos barceloneses, é uma biblioteca secreta e labiríntica que funciona como depósito para obras abandonadas pelo mundo, à espera de que alguém as descubra. É lá que Daniel encontra um exemplar de ‘A Sombra do Vento’, do também barcelonês Julián Carax. O livro desperta no jovem e sensível Daniel um enorme fascínio por aquele autor desconhecido e sua obra, que ele descobre ser vasta. Obcecado, Daniel começa então uma busca pelos outros livros de Carax e, para sua surpresa, descobre que alguém vem queimando sistematicamente todos os exemplares de todos os livros que o autor já escreveu. Na verdade, o exemplar que Daniel tem em mãos pode ser o último existente. E ele logo irá entender que, se não descobrir a verdade sobre Julián Carax, ele e aqueles que ama poderão ter um destino terrível. 

Opinião da leitora: Esse livro entra fácil na lista dos meus preferidos da vida. Inclusive, acho que foi o responsável por mudar um pouco meus hábitos de leitura. Após ler “A Sombra do Vento”, passei a olhar com mais carinho para os livros mais “adultos” e “sérios”. Na época eu só lia young adult, Agatha Christie e chick-lit. Tudo bem que ainda leio MUITO isso, mas Zafón abriu meus olhos para as outras vertentes literárias. Talvez por isso eu tenha um carinho maior por essa obra específica. Gostei de todos os livros e lerei qualquer coisa que o Zafón publique, mas acho difícil algum livro superar “A Sombra do Vento” no meu coração.
Falando mais especificamente do livro, a história é surpreendente e cativante. Fui absorvida pela narrativa desde o início. A escrita do Zafón é envolvente e a trama consegue prender o leitor. A linguagem do autor é bem característica, tal como o ambiente que ele cria nas obras. Todas as histórias são envoltas em mistério, suspense, com um clima meio sombrio, quase sobrenatural. Os personagens também são muito bem construídos. Destaque para Sempere pai (um amor!) e Fermín (o alívio cômico).
Qualquer história envolvendo livros me conquista de cara. Como não se identificar com um menino que fica fascinado por um livro e começa a buscar tudo daquele autor? Foi o que eu mesma fiz depois da leitura! E como não querer que o Cemitério dos Livros Esquecidos seja real? Parece ser um lugar maravilhoso!
Não tenho palavras para explicar o quanto “A Sombra do Vento” significou para mim e o quanto eu amei ler esse livro. Recomendo para sempre.

O Jogo do Anjo

o-jogo-do-anjo-carlos-ruiz-zafon-julgando-pela-capa-sinopseNota no Skoob: 4,3

Minha nota: 4,5

Sinopse: Aos 28 anos, desiludido no amor e na vida profissional e gravemente doente, o escritor David vive sozinho num casarão em ruínas. É quando surge em sua vida Andreas Corelli, um estrangeiro que se diz editor de livros. Sua origem exata é um mistério, mas sua fala é suave e sedutora. Ele promete a David muito dinheiro e sua simples aparição parece devolver a saúde ao escritor. Contudo, o que ele pede em troca não é pouco. E o preço real dessa encomenda é o que David precisará descobrir.

Opinião da leitora: O segundo livro da trilogia na verdade se passa antes de “A Sombra do Vento”, na mesma Barcelona. “O Jogo do Anjo” é um livro mais sobrenatural, espiritual e surreal que seu predecessor. Talvez por isso eu não tenha gostado tanto. Achei o desenrolar muitas vezes confuso e o final aberto demais para interpretações. Confesso que teria que reler o livro para compreender melhor a história. Apesar disso, as habilidades do Zafón se mantém intactas e o livro consegue prender e agradar.
A ordem de leitura dos dois primeiros livros não influencia no entendimento da história porque os dois não parecem parte de uma mesma trilogia. O Cemitério dos Livros Esquecidos e a família Sempere aparecem em ambos, mas somente em “O Prisioneiro do Céu” conseguimos linkar melhor as três histórias.

O Prisioneiro do Céu (SPOILER para quem não leu “A Sombra do Vento”)

prisioneirodoceuNota no Skoob: 4,4

Minha nota: 5

Sinopse: Barcelona, 1957. Já se passa um ano do casamento de Daniel e Bea. Eles agora têm um filho, Julián, e vivem com o pai de Daniel em um apartamento em cima da livraria Sempere e Filhos. Fermín ainda trabalha com eles e está ocupado com os preparativos para seu casamento com Bernarda no ano-novo. No entanto, algo parece incomodá-lo profundamente. Quando tudo começava a dar certo para eles, um personagem inquietante visita a livraria de Sempere em uma manhã em que Daniel está sozinho na loja. O homem misterioso entra e mostra interesse por um dos itens mais valiosos dos Sempere, uma edição ilustrada de O conde de Montecristo que é mantida trancada sob uma cúpula de vidro. O livro é caríssimo, e o homem parece não ter grande interesse por literatura; mesmo assim, demonstra querer comprá-lo a qualquer custo. O mistério se torna ainda maior depois que o homem sai da loja, deixando no livro a seguinte dedicatória: “Para Fermín Romero de Torres, que retornou de entre os mortos e tem a chave do futuro”. Esta visita é apenas o ponto de partida de uma história de aprisionamento, traição e do retorno de um adversário mortal. Daniel e Fermín terão que compreender o que ocorre diante da ameaça da revelação de um terrível segredo que permanecia enterrado há duas décadas no fundo da memória da cidade. Ao descobrir a verdade, Daniel compreenderá que o destino o arrasta na direção de um confronto inevitável com a maior das sombras: aquela que cresce dentro dele.

Opinião da leitora: Enquanto os dois primeiros livros podem ser lidos em qualquer ordem, o terceiro DEVE ser lido por último. Como diz a sinopse, o livro se passa após o fim de “A Sombra do Vento” e conta com os mesmos personagens. A trama foca nos acontecimentos anteriores ao primeiro livro, desvendando para o leitor o passado do Fermín e até da mãe do Daniel. É uma história mais curta e menos complexa que as outras, mas não menos envolvente e interessante. Ela complementa e conecta bem as demais narrativas e ajuda a compreender a história em um plano maior.
Gostei bastante, mas não chega ao posto de favorito por ser uma sequência, não sendo possível ser apreciada sem a leitura dos outros livros.

Esses foram os livros adultos lançados pelo Zafón até o momento. Depois volto com minha opinião sobre as obras juvenis.

Ranking geral:
1- A Sombra do Vento
2- Marina
3- O Prisioneiro do Céu
4- O Príncipe da Névoa
5- O Jogo do Anjo
6- As Luzes de Setembro
7- O Palácio da Meia-Noite

IMPORTANTE: Quem quiser conhecer a obra do Zafón, o Submarino está com uma promoção maravilhosa. Os três livros resenhados nesse post por R$ 20,95. Recomendo clicar aqui!

Comentar via Facebook

Comentários

Deixe uma resposta