Gonçalves Trip: Lisboa – Dia 4

Dia 4 – 08/05

O quarto dia foi também o último de fato em Lisboa, pois nos outros dois dias fizemos passeios partindo de Lisboa para outros lugares. Para encerrar então a visita à cidade das sete colinas, nós andamos um pouco pelo Chiado, um dos bairros mais emblemáticos e tradicionais da cidade.

Saltamos na estação Baixa-Chiado e andamos pela Rua Garret – uma das principais do bairro – até o Café À Brasileira, onde a estátua de bronze de Fernando Pessoa te convida para uma foto típica de turista.

DSC04405Depois do mico obrigatório, seguimos para o Largo do Carmo. A principal atração é o Museu Arqueológico do Carmo. A Igreja do Carmo foi muito danificada pelo terremoto de 1755 e pelo incêndio que se sucedeu dele. Ela foi parcialmente restaurada no reinado de D. Maria I, o que conferiu o aspecto de ruína ao edifício. Hoje, como museu, o convento é um dos principais pontos turísticos da cidade.

DSC04411 DSC04418 DSC04419  DSC04421Saindo do museu, nos deparamos com uma raposa (?) vestida com o uniforme da GNR (a guarda nacional republicana) em frente ao Quartel do Carmo. Um guarda nos abordou e disse que estava tendo uma exposição grátis no quartel e nos convidou para dar uma olhada. Eles foram tão simpáticos (e tinham uma raposa!) que aceitamos.

Antes de entrarmos, tiramos a foto obrigatória com a raposa e em cima de uma moto (vale ressaltar que a da moto foi ideia do guarda!).

DSC04422 DSC04425Dentro do quartel ficamos sabendo mais sobre o golpe de estado de 1910, que instaurou o regime republicano, e sobre outros fatos históricos envolvendo a GNR. No pátio, uma exposição de veículos usados em diversas épocas. E um dragão! Além da raposa, também tinha um dragão!

DSC04437Desculpa não ter foto dos carros, mas eu estava mais preocupada em tirar foto com o dragão (#prioridades).

Mas a melhor surpresa foi a vista da sacada do prédio.

DSC04431Praça do Rossio, Castelo de São Jorge, Elevador de Santa Justa e até um pedacinho do Tejo!

Depois foi hora de uma boa caminhada até o Miradouro de São Pedro de Alcântara, que, além da vista, tem um jardim bem bonito.

DSC04441   DSC04447De lá saíamos em busca de uma estação de metrô para voltarmos para o hotel. Andamos até a Avenida Liberdade para isso. Foi uma senhora caminhada, mas valeu a pena para ver um pouco dessa avenida que não tínhamos passado.

Posso estar enganada, mas me pareceu um ponto de luxo da cidade. Como uma 5ª Avenida em Nova York. Várias lojas caríssimas que não nos atrevemos nem a entrar.

Achada a estação de metrô, voltamos para o hotel e aproveitamos para almoçar no American Music Burguer (que já foi citado aqui). Eu pedi um hamburguer (que vinha com arroz! Oo) e minha prima comeu a “melhor salada de todas” (palavras da própria).

Descansamos e passamos a tarde fazendo uma busca na internet para um lugar para irmos para o jantar. Decidimos por um lanche na Pastelaria Versailles. A decoração é linda. Ela parece uma Confeitaria Colombo.

Não curti muito o bolinho de bacalhau (friiio), mas o croissant com manteiga estava muito bom. Ainda levamos vários docinhos para viagem porque somos gordinhas.

O trajeto da parte da manhã foi esse:

lisboadia4

Gastos do dia:
Museu Arqueológico do Carmo: 3,50
Lembranças: 4,90
Almoço: 9,70 (hamburguer com arroz e fritas + suco delicioso de laranja)
Metrô: mais 5,00 para carregar
Lanche: 9,82 (bolinho de bacalhau, croissant, suco e doces)
Total: 32,92 euros

Comentar via Facebook

Comentários

One comment

Deixe uma resposta