Gonçalves Trip: Sintra + Cabo da Roca + Cascais

Dia 5 – 09/05

Deixamos os dois últimos dias em Lisboa para fazer bate-e-volta em localidades próximas. Primeiramente cogitamos visitar essas cidades por conta própria, mas achamos mais prático contratar uma empresa. Fiz pesquisas na internet e achei o Meu Tour Portugal.  Além do site organizado e amigável, os preços também me pareceram justos. Sendo assim, reservamos do Brasil o tour para Sintra, Cascais e Cabo da Roca e o tour para Fátima, Batalha, Nazaré e Óbidos. Até a viagem mantive contato com a Patricia por email. Ela foi sempre muito simpática e solícita. O melhor foi que ainda ganhamos o traslado do aeroporto para o hotel no dia da nossa chegada.

Cada tour foi realizado por um motorista-guia que nos buscou e nos deixou na porta do hotel. Tivemos a companhia de outros brasileiros (todos na mesma van) nos dois passeios. Os nossos dois motoristas (André e Marco) foram super simpáticos e muito competentes, sempre dando informações pertinentes sobre os lugares que visitamos. Em suma, achei que valeu muito a pena contratar os serviços do Meu Tour Portugal e recomendo fortemente para quem for para Portugal e não quiser se preocupar com a logística desses passeios.

Agora vamos ao tour de fato! Esse foi o dia de conhecermos um pouquinho de Sintra, Cascais e Cabo da Roca.

Depois de todos estarem acomodados na van, seguimos para a primeira parada: Palácio Nacional de Queluz. “Mandado construir em 1747 pelo futuro D. Pedro III, consorte de D. Maria I, o Palácio de Queluz foi inicialmente concebido como residência de verão, tornando-se espaço privilegiado de lazer e entretenimento da Família Real, que o habitou em permanência de 1794 até à partida para o Brasil, em 1807, na sequência das invasões francesas”.

DSC04459 DSC04463Fizemos o tour pelas salas do Palácio e no final saímos nos jardins.

DSC04480 DSC04482 DSC04483 DSC04486Depois do Palácio de Queluz, nosso destino seria Sintra e o Palácio da Pena. Mas nosso motorista tinha uma sugestão fora do roteiro: a Quinta da Regaleira. Ele falou um pouco sobre os dois lugares e a escolha na van foi unânime: Quinta da Regaleira! Não conheço o Palácio da Pena, mas não me arrependi nem um pouco da escolha.

Residência de veraneio da família Carvalho Monteiro foi concebida em estilo neomanuelino. Além da arquitetura encantadora, a Quinta conta com um jardim espetacular. Não são jardins comuns de palácios, é uma área imensa e inacreditável. Não consigo colocar em palavras, fiquei apaixonada pelo lugar.

DSC04501 DSC04508 DSC04510 DSC04522 DSC04532Eu poderia colocar todas as fotos do mundo, mas nenhuma vai fazer jus à magnitude desse lugar. Super recomendo a visita!

Depois fomos almoçar e passear um pouco pelo centro de Sintra. Como fomos à Quinta da Regaleira, não tivemos tempo de visitar o Palácio da Pena, então só passamos em frente mesmo.

Depois partimos para o Cabo da Roca, o ponto mais ocidental da Europa continental (aka o ponto com mais vento e mais frio que eu já passei na vida).

DSC04542Vocês podem notar que o tempo não estava dos melhores. O dia já estava mais frio, mas com o vento absurdo que batia lá não rolou de tirar muitas fotos. Todos voltaram correndo para o quentinho da van.

Saindo de lá, seguimos a estrada rumo à Cascais. Foi um passeio ótimo pelo litoral, com paisagens lindas.

DSC04549Deixamos a nuvem feia para trás e nos deparamos com um céu azulzinho! Perfeito para tirar boas fotos na Boca do Inferno, a próxima parada.

DSC04555 DSC04557 DSC04566A última parada foi o centro de Cascais.

DSC04570Ficamos pouquíssimo tempo passeando por lá. Só deu tempo de entrar em uma lojinha super fofa (desculpa, não lembro o nome) cheia de coisas interessantes. Lá comprei o meu Scratch Map que já está devidamente preso na parede do escritório.

Por fim, voltamos para Lisboa e fomos deixadas na porta do nosso hotel. Só saímos para jantar (de novo no American Music Burguer).

Gastos do dia:
Palácio de Queluz: 9,50
Quinta da Regaleira: 6,00
Almoço: 8,50
Travesseiro de Sintra (um doce rs): 2,10
Scratch Map: 14,90
Jantar: 10,40 (salada Las Vegas e suco de laranja)
Metrô: mais 5,00 de carga
Total: 56,40 euros

Comentar via Facebook

Comentários

6 comments

  1. israel Hilario da Silva says:

    Valeu as dicas para quem vai viajar e não sabe como programar seus passeios. Lindos lugares, fotos maravilhosas e garotas lindas deixando as paisagens mais bonitas.

  2. Douglas says:

    Olá Camilla,

    Gostei bastante dos seus relatos de viagem. Penso em viajar no início de 2015 e tenho um pouco de “preconceito” com os destinos mais tradicionais (como Madrid, Roma, Paris, até mesmo Lisboa). Procuro um lugar que tenho um ritmo de vida diferente do Rio de Janeiro.
    Sintra parece fantástica. A manutenção desse estilo medieval é fascinante. Senti falta de mais fotos de Cascais, me disseram que é um lugar muito bonito.
    Mas me pergunto. Um dia é tempo suficiente para se conhecer essas cidades? Recomenda passar mais tempo nelas?

    Beijos e continue feliz. 🙂

    • Camilla Gonçalves
      Camilla Gonçalves says:

      Olá Douglas!
      Sintra é realmente encantadora. A Quinta da Regaleira é fantástica e foi um dos meus lugares preferidos de toda a viagem. Tem outros pontos que não visitei (mas gostaria de ter conhecido) como o Palácio da Pena e o Castelo dos Mouros.
      Cascais também é bem bonito. Não tenho muitas fotos porque passamos muito rapidamente por lá.
      Para conhecer de verdade, recomendaria pelo menos um pernoite em cada cidade. Como isso seria inviável no nosso roteiro, preferimos fazer o tour e ter pelo menos uma noção desses lugares.
      Já que você procura um ritmo diferente do Rio, recomendo também pernoite em Óbidos. É outro estilo, mas uma graça também.
      De qualquer maneira, vale dar uma chance a Lisboa! É possível passar alguns dias lá e fazer esses passeios (pernoitando ou não). Eu nunca tive esse “preconceito” com os destinos tradicionais, mas Lisboa nunca me chamou atenção. Me surpreendi com a cidade.
      Você tem problema com temperaturas baixas? Porque no início do ano deve estar bem frio por lá. O melhor seria ir a partir de Abril, quando já está na primavera.
      Espero ter ajudado! 🙂
      Beijos!

      • Douglas says:

        De fato, acho nunca encarei um frio brabo (Porto Alegre no inverno não conta, né?) então imagino que seja mais seguro aguardar um pouco até a primavera. Portugal me parece “pequeno”, tornando essas visitas a pequenas cidades algo plausível. Uma obsessão minha é visitar cidades italianas de interior. Caso você planeje ir, me informe pra que eu possa pegar umas dicas (haha).

        Ah, aproveitando o espaço, li no post sobre o festival do Rio a recomendação de Boyhood. É muito amor esse filme.

        Beijos.

        • Camilla Gonçalves
          Camilla Gonçalves says:

          Acho que nem frio estilo Porto Alegre no inverno eu peguei! haha
          Primavera é mais seguro mesmo. Portugal permite mesmo essas pequenas visitas sem deixar de conhecer as cidades grandes.
          Também tenho vontade de conhecer cidades do interior da Itália, mas ainda não estão nos planos a curto prazo. Pode deixar que quando estiver planejando, compartilho as dicas!

          Poxa, acredita que foi o único da lista que não consegui ver?? Queria muito, mas os horários não permitiram. Mas ainda vou reparar isso.

          Beijos

Deixe uma resposta