Na Estrada: Bonito – MS

Bonito está na minha lista de destinos dos sonhos desde 2003, quando meu colégio fez uma excursão para lá e eu não pude ir. Treze anos depois finalmente realizei meu desejo e conheci esse paraíso do ecoturismo no Brasil.

Piraputangas no Aquário Natural

Piraputangas no Aquário Natural

Como sempre, fiz uma extensa pesquisa na internet para conseguir planejar as férias e aproveitar o máximo possível. Trago aqui um pouco do que aprendi nos sites e blogs (listados abaixo) com uma pitada de experiência própria.

Vamos às dicas de Bonito!


Quando ir?

A resposta é depende. O clima na região é caracterizado por apresentar um verão chuvoso e um inverno seco. Como cada estação tem seus prós e contras em relação aos passeios, a época ideal vai depender das atividades que você quer realizar (#teampaisagem ou #teamflutuação?).

A época das chuvas (de dezembro a março) é a melhor para apreciar as paisagens. A vegetação está verde, as cachoeiras estão caudalosas e os animais aparecem com mais frequência (isso é bom para quem quer dar um pulinho no Pantanal). Por outro lado, é a época da piracema e por isso há menos peixes a serem vistos nas flutuações. Também é importante destacar que com as chuvas as águas dos rios ficam turvas e muitos passeios podem ser cancelados (inclusive alguns mergulhos não são feitos nesta época). A Lagoa Misteriosa é um dos exemplos: ela não funciona no verão devido à proliferação de algas, ficando aberta somente de maio a setembro.

Já durante a seca (entre maio e agosto) as queimadas são frequentes, o que acaba afastando os animais e mudando a vegetação. Em compensação, é a melhor época para mergulho e flutuação, pois as águas estão cristalinas e com mais peixes. A temperatura pode cair, mas as águas dos rios e lagoas costumam ficar entre 21° e 24° durante o ano todo, o que torna o contato com a água mais agradável. Além disso, os passeios de flutuação e mergulho disponibilizam roupas de neoprene, contornando o frio dentro da água. Fora dela não tem muito o que fazer, é correr para a toalha.

Independente da estação escolhida, tente evitar os meses de alta temporada (dezembro, janeiro, julho e feriados). Sempre são mais caros e cheios. Eu recomendaria o mês de maio e o de setembro, meses secos e com temperatura agradável.

Como minha prioridade sempre foi fazer as flutuações, foi fácil escolher a época. Fomos no final de junho, logo no início do inverno. A temperatura na semana anterior estava baixa e fiquei com medo de atrapalhar a viagem. De manhã cedo e de noite fazia um pouco de frio, entre 17° e 20°. Mas conforme o sol ia firmando (e fez sol todos os dias! 🙏) a temperatura ficava por volta dos 25°, bem ameno e agradável para fazer as trilhas, que são constantes independente do passeio. A temperatura só atrapalhou um pouco na hora de entrar nas cachoeiras. Sem aquele calor do lado de fora não dá para curtir tanto o contato com águas geladas (as cachoeiras não seguem a temperatura deliciosa das flutuações, são geladas MESMO).

Como chegar?

A cidade localiza-se no sul da região Centro-Oeste, no Estado de Mato Grosso do Sul. Apesar de contar com um aeroporto regional que recebe voos da Azul às quartas e aos domingos (conexão em Campinas), o jeito mais comum de chegar à Bonito é pelo Aeroporto Internacional de Campo Grande, que fica a aproximadamente 300 km de distância. Para percorrer estes 300 km, é possível alugar um carro ou contratar uns translado oferecido pelas agências de viagem ou pousadas. Uma dica que vi em um blog e repasso: se possível, escolha voos que cheguem em Campo Grande antes de 14h e voos de volta que partam depois das 14h. Assim você consegue fazer o deslocamento Campo Grande – Bonito e Bonito – Campo Grande no mesmo dia e otimiza seus dias de viagem.

Infelizmente não conseguimos fazer isso. Pegamos um voo que chegava em Campo Grande de noite e partia de manhã. Então dormimos duas noites na capital, uma na ida e outra na volta. Com isso gastamos dois dias a mais 🙁 Quanto ao translado, nós escolhemos alugar um carro para ser nosso companheiro durante toda a estadia em Bonito.

Quantos dias ficar?

Diria que o mínimo são 4 dias inteiros (sem contar os dias de deslocamento entre Campo Grande e Bonito). Menos do que isso não dá para contemplar os principais passeios da cidade e você acaba gastando mais tempo para chegar lá do que aproveitando os atrativos.

Dá para ficar mais? Claro! São muitas opções para visitar, mas saiba que as atrações começam a se tornar repetitivas. Então mais que 5 dias talvez fique entediante.

Onde ficar?

Bonito é uma cidade bem pequena. Basicamente só tem uma rua principal onde se localizam os principais restaurantes e o comércio. Tem uma oferta grande de hotéis, pousadas e hostels para todos os bolsos. Ficar perto do centro é bom, mas não essencial. Não ter que pegar o carro para sair à noite é uma vantagem, mas quem ficar mais afastado poder ficar tranquilo porque é bem fácil estacionar.

Nós escolhemos o Che Lagarto Hostel. Os preços eram extremamente convidativos, tinha estacionamento grátis e era bem avaliado no Booking e no Trip Advisor. Apesar de ser um hostel, possui quartos duplos (que foi o que pegamos). Além de café da manhã incluído e possibilidade de alugar toalhas para os passeios. Era um dos mais afastado do centro, mas íamos de carro e estacionávamos com facilidade, então não foi um problema. O único ponto negativo era a internet. No geral a internet na cidade é muito ruim, mas o WIFI do hostel era pior que o dos restaurantes e passeios. Eles contam com uma sala com computadores, mas todo mundo quer poder acessar pelo seu celular, né?

Pelo preço acho que valeu muito a pena.

Tabela comparativa entre os hotéis pesquisados

Tabela comparativa entre os hotéis pesquisados

Como se locomover?

Mesmo se hospedando perto do centrinho, você vai precisar se deslocar bastante para fazer os passeios. A grande maioria das atrações fica bem afastada da cidade. Para chegar até elas, as agências oferecem o serviço de translado compartilhado (na época R$50 por pessoa/passeio). Como o transporte é dividido, você fica preso e dependendo dos outros turistas para sair de um lugar e ir para outro. A outra opção é o aluguel de carro. Como mencionado acima, alugamos um carro e fomos com ele para todos os passeios comprados.Não me arrependo da nossa escolha. É muito mais confortável não depender dos horários dos outros. A agência nos deu um mapa (GPS lá não funciona tão bem porque o sinal é ruim) e foi muito tranquilo chegar à todos os destinos nos guiando por ele.

O que fazer?

São basicamente sete tipos de passeios em Bonito: gruta, cachoeira, flutuação, aventura, contemplação, mergulho e atrativos urbanos. Dentro de cada categoria, existem uma infinidade de opções. Sugiro escolher pelo menos uma atração de cada gênero e repetir o que for de sua preferência (no nosso caso foram duas flutuações e duas cachoeiras). Rio da Prata, Abismo Anhumas, Gruta do Lago Azul, Buraco das Araras e Boca da Onça são os principais.

É imprescindível reservar os passeios com antecedência. As vagas são limitadas e por isso esgotam rápido. Portanto, é melhor não deixar para decidir quando chegar lá senão você corre o risco de não conseguir fazer a atividade que queria. As reservas são feitas exclusivamente através de agências locais. Certas hospedagens já te direcionam para uma agência, mas também dá para jogar no google e entrar em contato com a que você preferir. Como os preços são tabelados, não tem essa de pechinchar. Independente da agência escolhida, os preços serão os mesmos.

Pesquisei no google e achei muitas agências. Acabei escolhendo a Agência Surucuá. Além do atendimento excelente, eles me enviaram um pdf com os descritivos e preços de todos os passeios disponíveis, facilitando muito meu processo decisório. A agência está ligada à pousada de mesmo nome, mas não é preciso ser hóspede para tratar com eles. Recomendo!

Para o post não ficar maior do que já está, farei um segundo só falando sobre os passeios. Descrições, preços e minha opinião sobre os que eu fiz. Aguardem!


Sites e Blogs que ajudaram minha pesquisa:

Donde Ando Por Aí

Me Joguei no Mundo

Batalhas Pelo Mundo

Viaje na Viagem

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Comentar via Facebook

Comentários

One comment

Deixe uma resposta