Resenha: Cem Anos de Solidão – Gabriel García Márquez

DSC05382

Início da leitura: 01/08/2014

Fim da leitura: 22/08/2014

Páginas: 447

Nota no Skoob: 4,6

Minha nota: 3

Editora: Record

Sinopse:  Em ‘Cem anos de solidão’, Gabriel García Marquez narra a história da família Buendía, uma estirpe de solitários que habitam a mítica aldeia de Macondo. A narrativa desenvolve-se em torno de todos os membros dessa família. O livro também pode ser entendido como uma autêntica enciclopédia do imaginário.

Opinião da leitora: Não preciso falar sobre a importância desse livro principalmente para a literatura latino-americana, ela é incontestável. O livro é importante, é clássico, é premiado (nobel de literatura!), mas é chatinho. Talvez eu não tenha ainda a maturidade literária necessária para apreciar essa obra e isso explique minha opinião.

É triste dizer isso, mas ler “Cem Anos de Solidão” foi quase um fardo, digno de comemoração quando terminei. Obviamente o livro não é ruim, porém não consegui sentir empatia por nenhum personagem (o que é quase imprescindível para eu gostar de um livro) nem me senti capturada pela narrativa. Com isso, ficou muito difícil encontrar motivação para avançar na leitura. Só concluí porque sou brasileira (e gastei mais de 50 reais nele!).

Os Buendía são todos uns loucos para mim. Em alguns momentos eu até achava graça das atitudes e pensamentos deles, mas na maioria das vezes só revirava os olhos. O desenvolvimento da trama é lento e, tirando os elementos fantásticos, não tem grandes acontecimentos. Os capítulos (não sei se podem ser chamados de capítulos pois não tem uma marcação muito definida) são bem grandes e eu sou total #teamcapituloscurtos porque me fazem devorar o livro. Também achei a narrativa meio confusa em alguns momentos, com uma mistura de personagens (facilmente confundíveis por causa dos nomes iguais) e fatos em um mesmo parágrafo.

Realmente não é um livro fácil de ler. Demanda atenção, tempo, paciência, mente aberta e maturidade. Se você conseguir reunir tudo isso, provavelmente vai gostar. Eu recomendo pelo significado da obra, não pelo entretenimento.

Comentar via Facebook

Comentários

3 comments

  1. Juliana says:

    Quando li, fiz uma espécie de árvore genealógica com o nome e mais algum detalhe do personagem para tentar lembrar!

    É realmente muuuuito confuso com nomes iguais, acontecimentos seguidos e uma loucura mais estranha que a outra. Mas eu lembro que gostei do livro apesar de tudo haha

Deixe uma resposta