Resenha: Extraordinário – R. J. Palacio

Extraordinário

Início da leitura: 02/01/2014

Fim da leitura: 02/01/2014 (sim, li em um dia!)

Páginas: 310

Editora: Intrínseca

Sinopse: August Pullman, o Auggie, nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso ele nunca frequentou uma escola de verdade… até agora. Todo mundo sabe que é difícil ser um aluno novo, mais ainda quando se tem um rosto tão diferente. Prestes a começar o quinto ano em um colégio particular de Nova York, Auggie tem uma missão nada fácil pela frente: convencer os colegas de que, apesar da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros.
Narrado da perspectiva de Auggie e também de seus familiares e amigos, com momentos comoventes e outros descontraídos, Extraordinário consegue captar o impacto que um menino pode causar na vida e no comportamento de todos, família, amigos e comunidade – um impacto forte, comovente e, sem dúvida nenhuma, extraordinariamente positivo, que vai tocar todo tipo de leitor.

Opinião da leitora: A autora conseguiu equilibrar bem a narrativa que poderia ficar pesada devido ao tema ou boba devido aos “narradores”. Não foi nem uma coisa nem outra. É um livro leve, mas com uma mensagem linda.

O fato dos capítulos serem curtos dá muita agilidade. A leitura fica muito dinâmica, tanto que li em apenas um dia. Adorei que o livro é dividido em partes, com pontos de vista de vários personagens diferentes. Isso agrega muito à história. Sempre é bom conhecer todos os lados.

Sobre a mensagem, não existe discussão: é um tema lindo que foi muito bem abordado. Principalmente a mensagem de gentileza. O mundo precisa de mais pessoas gentis.

Foi impossível não derramar umas lágrimas. Não por ser triste e dramático, mas por ser simplesmente belo.

Mais do que recomendado.

Quotes:

“Quando tiver que escolher entre estar certo e ser gentil, escolha ser gentil.”
“Não precisamos dos olhos para amar, certo? Apenas sentimos dentro de nós.”
“Acho que devia haver uma regra que determinasse que todas as pessoas do mundo tinham que ser aplaudidas de pé pelo menos uma vez na vida.”
“Vamos criar uma nova regra de vida… Sempre tentar ser um pouco mais gentil que o necessário?”
“Se cada pessoa nesse auditório tomar por regra que, onde quer que esteja, sempre que puder, será um pouco mais gentil que o necessário, o mundo realmente será um lugar melhor.”
“Grande é aquele cuja força conquista mais corações pela atração do próprio coração.”
“Toda pessoa deveria ser aplaudida de pé pelo menos uma vez na vida, porque todos nós vencemos o mundo.”

Comentar via Facebook

Comentários

2 comments

Deixe uma resposta