Santiago – Dia 2

Dia 2 – 31/10

No segundo dia continuamos o city tour pela cidade. Começamos bem cedo pelo Mercado Central.

Saltamos na estação Cal y Canto e entramos no mercado para dar uma espiada.

DSC05429 DSC05433 DSC05436Nada muito diferente dos mil mercados que você em qualquer viagem.

Saímos de lá correndo por causa do delicioso aroma de peixe e seguimos para a Plaza de Armas.

Correo Central e tapumes de obra

Correo Central e tapumes de obra

Infelizmente a praça estava toda em obras. Até a fachada da Catedral de Santiago estava coberta por tapumes. Entramos nela, mas não consegui tirar fotos.

A próxima parada do roteiro foi o Museo Chileno de Arte Precolombino. O museu abre de terça a domingo das 10h às 18h. Chegamos na porta um pouco antes das 10h e esperamos pela abertura.

Esse museu vale a pena! Ele conta com uma vasta exposição permanente composta por objetos dos povos que habitavam as Américas antes da chegada de Colombo.

A exposição segue a mesma divisão apresentada no mapa

A exposição segue a mesma divisão apresentada no mapa

Além da exposição permanente, visitamos uma área interativa. As interações eram mais infantis, mas não menos divertidas. Como relacionar comida ao cheiro, ver o mapa da América do Sul com os animais típicos de cada região e fazer um teste para saber a qual civilização pré-colombiana você pertence (eu seria Mapuche!).

Depois do museu fomos andando despretensiosamente até o Palacio de La Moneda. Para nossa surpresa, estava acontecendo a troca da guarda.

DSC05445 DSC05449 DSC05455A melhor parte foi quando eles tocaram Aquarela do Brasil! 😀

De lá caminhamos até o Cerro Santa Lucía.

DSC05464 DSC05468 DSC05474 DSC05475O céu estava mais claro do que no dia anterior, então a vista foi mais nítida do que a do Cerro San Cristóbal. Por isso acabei gostando mais do Cerro Santa Lucía.

Após subidas e descidas, almoçamos no bairro Lastarria. O bairro é recheado de restaurantes, mas achei tudo muito caro. Acabamos escolhendo o Sur Patagónico, onde comi o pior fettuccine da minha vida. Para compensar, um sorvete no Emporio la Rosa.

Pegamos o metrô na estação da Universidad Católica e voltamos para o hotel.

Na parte da tarde, fomos no Parque de las Esculturas. É uma área verde que fica na Av. Santa María entre as pontes Pedro de Valdívia e Nueva de Lyon às margens do Rio Mapocho. Como diz o nome, é um parque onde estão expostas diversas esculturas de artistas chilenos. É um passeio bem agradável.

Parque, Rio Mapocho e Costanera Center (shopping)

Parque, Rio Mapocho e Costanera Center (shopping)

DSC05484 DSC05491Já falei que tem  muito cachorro em Santiago?Já falei que tem muito cachorro em Santiago? Pois tem!

DSC05494Caminhamos pelo parque e fomos até o Costanera Center, esse prédio imenso da foto. É um shopping com muitos andares, lojas de todos os tipos e muitas opções na praça de alimentação.

Voltamos a pé para o hotel e nos arrumamos para “jantar” no Pátio Bellavista.

DSC05503É um ótimo lugar para ir à noite (sim, já era de noite apesar da claridade). O escolhido foi o 100 Montaditos. “Amor verdadeiro, amor eterno” descoberto em Barcelona. Não resisti quando vi que tinha em Santiago.

O dia foi cheio, mas não chegou a ser corrido. Conseguimos fazer tudo de forma tranquila.

O trajeto da parte da manhã foi esse:

santiago2

Gastos do dia:
Metrô: 2.560
Museo Precolombino: 3.500
Almoço Sur Patagónico: 8.525 (fettuccine e água)
Sorvete Emporio la Rosa: 1.450
100 Montaditos: 3.900 (montadito de churrasco e de nutella, batata e água)
Total: 19.935 pesos chilenos

Comentar via Facebook

Comentários

2 comments

  1. Juliana says:

    Eu sei que deveria comentar sobre o post… mas preciso dizer que, com o calor que está fazendo do Rio hoje eu parei na palavra “sorvete” por um bom tempo antes de continuar hahaha

    Pareceu um dia bem tranquilo apesar de muitas coisas para se ver. Tenho vontade de conhecer o Chile 🙂

Deixe uma resposta